contato@habitatcoworking.com.br +55 (21) 3570-4949

Idiomas:

Siga-nos:

Top

ABRACE A INCERTEZA

Tive o privilégio de ter Renato Mendes como mentor. Um amigo que domina como poucos o ambiente de startups. Um dos mantras do Renato nesse contexto da “Nova Economia” é: Risk is Safe. A ideia de que o ambiente de incerteza é gigante, e não podemos sofrer com isso. Temos de abraçar a incerteza e evitar as posições confortáveis.

Não posso concordar mais. Quem está no “lugar quentinho” vai ser atropelado. É preciso se autossabotar. Abraçar a incerteza é um atributo para profissionais e empresas na nova economia.

Contudo, qual nossa noção de risco? Risco envolve probabilidade. Em que medida temos clareza dessas probabilidades? Vale a reflexão da importância de exercitar essa noção de probabilidades, e aqui entra a recomendação de leitura do livro A arte de pensar claramente.

Viés de pensamento: risco de tomada de decisão ruim

Nosso cotidiano de profissional ou de empresa é tomar decisões, fazer escolhas. Para seguir o mantra de abraçar a incerteza, nos expomos ainda mais à tomada de decisão uma vez que escolhemos continuamente agir.

Sair do lugar comum, buscar o novo, implica em se expor a mais risco.

Mas como fazemos as escolhas? Como tomamos as decisões. Eis que surge o viés de pensamento. Temos nossa forma de pensar e – comprovadamente – temos escolhas enviesadas. Escolhas que nos apontam para o lugar errado. E toda escolha tem consequências.

Você se vê acomodado e resolve empreender. Decisão corajosa, mas como construiu sua decisão? Acabou de escutar um case de empreendedor bem-sucedido e se animou? Cuidado com o viés! Dê uma olhada no cemitério de empreendedores.

Está pensando nisso e em todo lugar que olha (revistas, internet, notícias). Vê sinais de confirmação da sua tese? Cuidado com o viés! Busque o contraditório!

Conhecimento aplicado pode salvar vidas.

A literatura de viés de pensamento é cada vez maior. Acredito que o mais difundido seja o clássico Rápido e Devagar, dos ganhadores do prêmio Nobel. Na minha lista ainda entra Risk Savvy, particularmente interessante na questão de itens ligados à saúde. A leitura mais recente do A arte de pensar claramente me fez voltar ao tema e recomendar tal leitura em primeiro da lista para aqueles interessados em evitar o viés de pensamento.

A importância de ter noção de probabilidade é essencial para dimensionar seu risco. Continuo defendendo que abraçar a incerteza é o caminho para a felicidade na nova economia. Entenda que o conforto não está no lugar quentinho, mas é necessário dimensionar o risco. E para tanto é fundamental praticar o pensamento com clareza, combatendo os vieses de pensamento.

Queremos certeza: não aceitamos probabilidade

O maior paradoxo nesse sentido envolve nossa vontade de ter certeza. Queremos segurança. Quer um exemplo?

Imagine que você possa comprar passagens aéreas com base na probabilidade de queda do avião. Digamos, temos três passagens vendidas: 50% de chance de cair, 20% de chance de cair e 0% de chance de cair.

Quanto você pagaria pela passagem de 50% de chance de cair? E pela de 20%? E pela de zero?

Tenho certeza que você pensou em pagar muito mais pela de zero do que pela de 20%, mas a diferença entre a de 50 e a de 20 foi menor do que a de 20 e a de zero. Ou seja, eu pago R$ 1.000 pela de 50%, R$ 2.000 pela 20% e R$ 4.000 pela de zero. Absolutamente irracional, pois está valorizando 10% de redução de probabilidade de modo distinto. Tudo pela busca da certeza.

Nossa dificuldade de pensar em probabilidades é brutal, mas é um pensamento de grande necessidade.

É nesses momentos que precisamos nos forçar a lembrar que a única certeza é a morte, e precisamos aprender a conviver e encarar melhor as probabilidades.

Precisamos abraçar a incerteza, o que significa navegar nas probabilidades que cada escolha envolve.

 

Fonte: Eder Campos (Blog Reflexão e Gestão)